Biologia no ENEM: saiba mais detalhes sobre as células-tronco!

Confira a matéria e entenda melhor esse assunto comum na prova

Biologia no ENEM: saiba mais detalhes sobre as células-tronco!
TEXTO ELABORADO POR: Prof. Nilson Soares de V. Júnior

E aí, galerinha, beleza? Espero que estejam bem! O papo de hoje é sobre as células-tronco. Tronco? Sim, isso mesmo! Porque estas células têm a capacidade de se diferenciar em variados tipos de células do corpo, assim como o tronco de uma árvore é o início para a formação de galhos, folhas, frutos, flores e etc. Mas vou explicar melhor, continue nos acompanhando nessa historinha da vida real!

                       

Bom, como já citado, as células-tronco são células indiferenciadas que são capazes de originar diversos outros tipos de células funcionais e específicas do corpo, como neurônios, células da pele, células musculares, hemácias e etc. Além dessa capacidade de se transformar em outros tipos celulares, as células-tronco também podem se autorrenovar e dar origem a outras células-tronco. Observe:

      

Naturalmente, existem dois tipos de células-tronco: as embrionárias e as adultas. As células-tronco embrionárias são formadas cerca de 5 a 7 dias após a fecundação, quando o embrião formado ainda se encontra na fase de blastocisto e as células internas desta estrutura irão originar todos os tipos celulares do corpo humano. Já as células-tronco adultas são encontradas no cordão umbilical do bebê em desenvolvimento, medula óssea, cérebro, fígado, sangue e outros tecidos. A diferença entre esses dois tipos é que as adultas possuem um potencial de diferenciação mais limitado, ou seja, pode originar apenas alguns pequenos grupos de células, sendo chamadas de multipotentes. Já as embrionárias, que originam qualquer tipo de célula do corpo, são classificadas como totipotentes.

Além das células-tronco naturais, existem as células-tronco induzidas, que foram produzidas pela primeira vez em laboratório no ano de 2006 por um cientista japonês chamado Shynia Yamanaka, que reprogramou células da cauda de camundongos fazendo com que estas retornassem ao comportamento de células-tronco embrionárias. Já no ano de 2007, foi a vez de usar o teste em células da pele humana, obtendo sucesso na indução. Esse teste foi feito utilizando um vírus contendo 4 genes que, ao serem inseridos no DNA das células, provocaram sua reprogramação. Observe:

 

Tá, professor, mas para que serve essas células e qual a necessidade dessa reprogramação em laboratório? Bom, a pesquisa com essas células é importante no entendimento e modelação de várias doenças, bem como são utilizadas em testes de medicamentos, dentre outros. Um uso comum é o da substituição de células doentes por células sadias, fundamental no combate e cura de algumas doenças. Essa técnica é conhecida como terapia celular. Mas, embora exista toda essa esperança no tratamento de doenças utilizando células-tronco, é importante destacar que as pesquisas que as utilizam, infelizmente, ainda se encontram em estágio inicial, e isso quer dizer que é preciso utilizar uma metodologia exigente para garantir a sua segurança.

 

Esperamos que esse conteúdo tenha te ajudado, bons estudos!

 

Quer ficar por dentro de mais dicas de estudos e conteúdos relacionados ao ENEM? Então, além de ficar atento(a) ao nosso blog, acompanhe também nosso Instagram e YouTube! Estamos sempre trazendo novidades.

 

Preparação de qualidade para o ENEM? 
Conheça nossa plataforma: www.pensaread.com.br/

 

REFERÊNCIAS

BOSCHILIA, Cleuza. Manual compacto de biologia. 1 edição. São Paulo: Rideel, 2010.

INSTITUTO Nacional de Ciência e Tecnologia Regenerativa em Medicina Regenerativa. Células Tronco. Disponível em: https://www.inctregenera.org.br/ceacutelulas-tronco.html. Acesso em: 14 set. 2020.

  • RECOMENDE-NOS AOS SEUS AMIGOS
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Veja também:

Artigos relacionados

Olá, deixe seu comentário

Enviando Comentário Fechar :/